Com a notícia que contemplados com programa cerca de 300 pessoas estiveram nesse local em busca de informações sobre o programa como ainda regularizando a sua documentação para não perder o seu imóvel

Mais de 600 sorteados podem perder imóveis se não regularizarem situação até o próximo dia 31 de outubro

Mais de 600 sorteados podem perder imóveis se não regularizarem situação até o próximo dia 31 de outubro

A coordenadora de loja Thayalla Qyanne Santos, de 22 anos, está entre as 10 mil pessoas que foram contempladas com os imóveis do “Minha Casa, Minha Vida” que ainda não entregou a documentação necessária na Central de Atendimento Social da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas), no São Francisco. Dentre esse montante há cerca de 600 sorteados que podem perder as suas casas caso não se regularize até o dia 30. Mais de 149 mil pessoas estão inscritas nesse programa federal, mas, até o momento, apenas 21 mil foram contemplados.

Durante todo o dia de ontem, 17, o salão principal de atendimento da Central ficou lotados. Até o final do expediente 300 pessoas estiveram nesse local em busca de informações sobre o programa como ainda regularizando a sua documentação para não perder o seu imóvel. Uma delas era a auxiliar administrativo Idaiane Silva, de 26 anos, que mora no Anjo da Guarda, pagando aluguel de uma casa, no valor de R$ 230.
Ela falou que conseguiu fazer a sua inscrição no Minha Casa, Minha Vida em uma escola pública, na Vila Embratel, no ano de 2009 e chegou a enfrentar uma longa fila. Logo no primeiro sorteio, teve o seu nome contemplado, que ocorreu no mês de julho de 2011, no entanto, somente agora conseguiu trazer todos os documentos solicitados pela direção do programa. “Entreguei todos os meus documentos, agora, só assinar o contrato com a Caixa Econômica e receber as chaves da minha casa”.
O autônomo Guilbeti Lopes, de 29 anos, mora em área de risco em uma palafita, na Ilhinha, em companhia da esposa, Marinalva Silva, e os seus três filhos menores de idade. O contemplado disse que, no momento, está esperando apenas o resultado do banco, pois, não tem mais dependências com a Semcas. Já a doméstica Maria Silva, de 27 anos, relatou que ficou sabendo que tinha sido sorteada somente esta semana e deve correr para garantir o seu imóvel. “A vizinha Ana Clara que chamou a minha atenção sobre as casas e quando cheguei à Semcas fiquei ciente que tinha sido contemplada. Tenho até o dia 30 para resolver tudo”, declarou.

Finalizando o prazo 

“Os contemplados do primeiro sorteio devem comparecer a central até o final do mês e caso contrário vão perder os seus imóveis”, afirmou a coordenadora do programa Minha Casa, Minha Vida em São Luís, Rosimar Buna. De acordo com ela, o verdadeiro motivo é justamente a falta de informação, porque, a maioria não sabe que foi sorteado ainda no primeiro sorteio, enquanto, os que estão cientes não estão conseguindo entregar toda a documentação exigida pelo programa.
O Minha Casa, Minha Vida é destinado a família de baixa renda, com renda no máximo R$ 1,6 mil e não tenham nenhum tipo de restrição no banco como ainda imóvel registrado em seu nome. A Prefeitura informou que já foram entregues mais de oito mil imóveis e 5.304 estão em fase de conclusão.
Raio X
Inscritos no programa: 149 mil pessoas na capital
Contemplados: 21 mil contemplados até o momento
Não entregaram os documentos: mais de 10 mil contemplados, sendo que 600 tem até o dia 30 para se regularizar
Imóveis do 1º sorteio: Sítio Natureza; Pitangueiras; São José; Nova Aurora; Recanto Verde; e Ribeira ( Estrada de Ribamar)
Imóveis do 2º sorteio: Amendoeira; Santo Antônio; Vila Maranhão; Luis Bacelar ( área Itaqui-Bancaga)
MaranhaoNews e OImparcial com informações  Central de Atendimento Social da Semcas