Maranhão registra queda de 43% nos casos de dengue - Maranhão News

18 maio, 2017

Maranhão News

Maranhão registra queda de 43% nos casos de dengue

Até abril deste ano, foram registrados 3. 901 casos de dengue e 2.909 casos de chikungunya no estado.
Até abril deste ano, foram registrados 3. 901 casos de dengue e 2.909 casos de chikungunya no estado

O conjunto de ações de combate ao mosquito Aedes aegypti adotado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), contribuiu para a redução dos casos de dengue e chikungunya no Maranhão, no último quadrimestre de 2017, em 43% e 14%, respectivamente, em relação a 2016.

Até abril deste ano, foram registrados 3. 901 casos de dengue e 2.909 casos de chikungunya no estado. No mesmo período do ano anterior, 6.897 casos de dengue e 3.376 casos de chikungunya registrados.

De acordo com o Programa Estadual de Controle da Dengue, vinculado à Superintendência de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde (SES), houve uma redução de 43% no quantitativo de casos notificados de dengue, de janeiro a abril de 2017, em comparação a este mesmo período de 2016 no Maranhão, ou seja, 2.996 menos casos. Já na capital, a redução aponta queda de 83% (redução de 1827 casos) no mesmo intervalo de tempo avaliado.

Com relação à chikungunya, ocorreu 14% (467) de redução dos casos confirmados da doença no estado, no período de janeiro a abril de 2017 em comparação ao mesmo intervalo de tempo em 2016. Na capital, o percentual de redução registrado é de 86%, ou seja, 831 casos a menos.

Para a coordenadora do Programa Estadual de Controle da Dengue, Zika e Chikungunya, Joseneide Matos, as expressivas reduções dos casos confirmados de dengue e chikungunya no estado refletem o trabalho intenso que é realizado nas visitas de campo às residências, aos carros-fumacê e todo o trabalho educativo feito nas escolas e centros comunitários do Maranhão.

“O Governo do Estado, por meio do trabalho da vigilância epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde, agiu de imediato com ações intensivas de combate ao mosquito Aedes aegypti, com capacitações nos municípios sobre o Levantamento Rápido de Índice de Infestação por Aedes aegypti, conhecido como LIRAa, para mapear as principais áreas infestadas do mosquito e direcionar da melhor forma as ações de combate. Atividades que incluem visitas domiciliares para eliminar focos do mosquito, abordagens educativas em escolas com sensibilização de estudantes e professores, além dos veículos utilizados na aplicação de inseticida Ultra Baixo Volume (UBV), conhecido como ‘Fumacê’”, detalhou a coordenadora Josineide Matos.

Ações de combate

A adoção de medidas preventivas e de combate ao mosquito transmissor Aedes aegypti devem ser de caráter permanente, tanto da parte do governo estadual como no dia a dia da população, é o que alerta coordenadora do Programa Estadual de Controle da Dengue, Zika e Chikungunya, Joseneide Matos. “Não podemos descuidar das medidas preventivas dentro da nossa casa e do vizinho. É sempre importante tampar as caixas d’água, manter as calhas limpas, lixeiras bem tampadas e limpar, semanalmente, os pratos de vasos de plantas com areia”, recomendou.

Brasil fora de perigo

O Brasil declarou o fim da Emergência Nacional em Saúde Pública para Chikungunya e Zika. A decisão, comunicada à Organização Mundial da Saúde, foi adotada em virtude da redução do número de casos da doença e de bebês com malformações congênitas provocadas pela infecção.

Fonte: Secom / Governo do Maranhão

Maranhão News

Autor: Maranhão News

Apenas os artigos assinalados não se refere ao Maranhão News, e todo seu conteúdo são de inteira resposabilidaes de suas fontes.

Inscreva-se e receba nossas postagens por email :