MA NEWS
http://www.cabocampos.com.br/
http://www.maranhaonews.net/

Prefeitura entrega mais 272 unidades habitacionais do 'Minha Casa, Minha Vida' em São Luís

Prefeitura entrega mais 272 unidades habitacionais do ’Minha Casa, Minha Vida’ em São Luís
"Por mais de 20 anos sonhei com esse momento. Receber a chave da minha casa própria é como concretizar um sonho que considerava quase impossível de realizar, diante dos poucos recursos que a minha família tem. Estamos imensamente felizes", relatou a dona de casa Dorian Amaral Gonçalves, 41 anos. A família de Dorian é uma das 272 que receberam as chaves das novas unidades habitacionais do Residencial Vila Maranhão V, entregues pela Prefeitura de São Luís, na manhã desta terça-feira (28).

Com a entrega de mais esses 272 apartamentos às famílias contempladas pelo programa federal 'Minha Casa, Minha Vida', em São Luís, a Prefeitura, que executa o programa na capital, conclui a entrega de todo o complexo residencial do Vila Maranhão – etapas de I a VI.

Segundo o secretário municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh), Mádison Leonardo, ao todo foram entregues 1.444 unidades habitacionais, nas seis etapas do Residencial Vila Maranhão. O titular da Semurh afirma também que o município ainda tem cerca de nove mil unidades em construção, que devem ser entregues até o final de 2017, quando o município deverá bater a marca de 20 mil habitações entregues na gestão do prefeito Edivaldo.

"Isso demonstra o zelo e a preocupação que a gestão do prefeito Edivaldo tem com as pessoas, pois está possibilitando para milhares de famílias benefícios reais de poder obter sua moradia própria e viver dignamente. Além disso, está contribuindo de forma significativa para a redução do déficit habitacional na capital", disse o secretário da Semurh.

NOVO LAR

Com 272 unidades, o Residencial Vila Maranhão V está localizado no bairro Maracanã, na zona rural da capital. O complexo de apartamentos é destinado a famílias de baixa renda como a da autônoma Dina Célia Mendonça, 33 anos. "Moro com minha filha em uma casa emprestada por um parente. Só quem passa por situações como esta que vivo, morando de favor, sabe o valor de receber sua casa própria. Todos nós sonhamos e merecemos viver sossegados com nossas famílias, em um cantinho só nosso", relatou ela, ao receber as chaves de seu novo lar.

Além do Vila Maranhão de I a VI, a Prefeitura também já entregou, nos últimos anos, as unidades habitacionais dos conjuntos residenciais Piancó, Ribeira I a IX; Luiz Bacelar I e II; apartamentos do Recanto Verde; do Residencial São José V; apartamentos do Piancó VII e VIII; e casas do Residencial Santo Antônio e unidades do Residencial Amendoeira. As unidades são compostas de apartamentos ou casas com dois quartos, sala, cozinha, banheiro e área de serviço.

Em parceria com o Governo Federal, o programa é executado pela Prefeitura de São Luís, a quem cabe a realização de todas as etapas procedimentais, desde a captação dos recursos, a realização dos projetos, a prospecção e aquisição das áreas para construção dos empreendimentos até o cadastramento e seleção das famílias beneficiadas pelo programa.

CAPACITAÇÕES

De acordo com Mádson Leonardo, a Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh) vai iniciar, nos próximos dias, nova etapa do projeto Trabalho Técnico Social, desta vez para os moradores do Residencial Vila Maranhão V. A ação consiste na realização de capacitações, que têm como objetivo oportunizar aos seus habitantes auferir uma renda extra. Dentre as ações desenvolvidas pelo Trabalho Técnico Social estão oficinas, cursos, palestras educativas, entre outras modalidades de capacitação.

Os projetos habitacionais executados pela Prefeitura de São Luís têm ainda como diferencial a contratação e construção de equipamentos sociais como creche, escola, área de lazer e posto de saúde, no próprio local. As unidades habitacionais são destinadas a pessoas de baixa renda, que não tenham residência própria.

Cada empreendimento do 'Programa Minha Casa, Minha Vida' em São Luís reserva ainda cerca de 3% a 5% das moradias para pessoas residentes em áreas de risco, desabrigadas ou que sejam beneficiárias do Aluguel Social. O trabalho de identificação desse público, que tem prioridade no programa, é realizado por equipes técnicas Semurh.

Fonte: Com informações da assessoria

0 comentários: