MA NEWS
http://www.cabocampos.com.br/
http://www.maranhaonews.net/

Governo celebra cooperação com organizações internacionais e fortalece rede materno-infantil no estado

Governador Flávio Dino fortalece assistência integral à saúde da mulher celebrando convênio com a Opas/OMS. Foto:Francisco Campos

A cooperação técnica da Organização Pan-americana de Saúde (OPAS) e a Organização Mundial de Saúde (OMS), organismos internacionais voltados para o desenvolvimento da saúde, contribui para um cenário promissor na reestruturação da saúde pública no Maranhão. Prova disso é a assinatura esta semana do termo entre o Governo do Estado e as organizações, buscando maior resolutividade da rede de atenção materno-infantil e uma nova abordagem do pré-natal ao nascimento do bebê, mais qualificado e especializado.

“A Organização Pan-americana de Saúde já contribui com o nosso sistema de saúde com o programa Mais Médicos. Agora, nós fizemos uma cooperação estendida para que eles nos ajudem na montagem de redes relativas a alguns problemas fundamentais, como a redução da mortalidade infantil e mortalidade materna. Nós temos indicadores declinantes, no que se refere a mortalidade materna, mas ainda indicadores que merecem atenção, por isso a presença da Opas representa mais qualidade no atendimento e assessoria aos municípios, para que se tenha mais eficiência nesse serviço”, disse o governador Flávio Dino.

Com essa cooperação técnica da OPAS, a proposta de assistência integral à saúde da mulher, que inclui reorganização dos processos de trabalho na rede básica de atendimento, vai ser fortalecida no Maranhão.

“Com certeza a nossa meta principal, diretamente, é a redução da mortalidade materno-infantil. É um dos elos que nós queremos atingir de maneira rápida. Com a ciência e o desenvolvimento que tem hoje a saúde, é possível que mortes sejam perfeitamente evitáveis, e é nisso que estamos trabalhando com a celebração do convênio”, disse Joaquin Molina, representante OPAS/OMS no Brasil.

Uma das explicações para esse cenário, ainda de acordo com Joaquin Molina, é o fato que o Maranhão, a partir do incremento da cooperação técnica internacional, pode agregar a troca de experiências exitosas, implantadas ou implementadas em outros países, na área da saúde pública.

“Outro aspecto que trabalhamos é de incrementar as relações de contato na OPAS, como uma ponte para que, também, o Maranhão conheça melhor outras referências de sucesso em outros países”, pontuou Molina.

A experiência exitosa da OPAS, mundialmente reconhecida, inicia a implementação no Maranhão de novas estratégias de gestão participativa e processos de trabalho das redes de atenção à saúde e do Sistema Único de Saúde (SUS) como um todo, tendo como foco, o usuário.

Sem vazios assistenciais

Historicamente, segundo o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, as redes assistenciais foram estruturadas, infelizmente, em uma lógica muito mais eleitoral do que racional, de modo que, ao longo de anos, a população ficou desassistida em diversas regiões do estado. De acordo com o gestor, corrigir e evitar novos vazios assistenciais são compromissos do governo Flávio Dino.

“O convênio com a OPAS celebra um rompimento com isso, pois o estudo técnico que se fez mostra a necessidade de cuidar da saúde da população. Aqui, o que importa é cuidar da vida das outras pessoas. O estudo da OPAS veio fazer um diagnóstico da nossa rede, permitir que a gente faça a construção de uma rede que leva em conta a correção de deficiências”, pontuou o secretário da Saúde, Carlos Lula.

No ano de 2015, dados do Departamento de Atenção em Saúde da Mulher da SES contabilizaram 102 mortes maternas no estado e, em 2016, foram registrados 86 óbitos. Para 2017, já existe tendência de queda, em relação ao ano anterior. “Nós temos que trazer os números à tona para dizer, sim, que eles não são bons, mas que é dever do Estado, todo dia, que cada um aqui que faz política de saúde, lutar para que esses números diminuam”, frisou o secretário Carlos Lula.

Convênio

No Dia Internacional da Mulher, nesta quarta-feira (8), o governador Flávio Dino, reuniu, no Salão de Atos do Palácio dos Leões, os secretários de estado, deputados entre outros, para assinatura de um pacote de ações voltadas proteção e prevenção da saúde da mulher, entre elas, a assinatura do Termo de Cooperação Técnica com a Organização Pan-Americana/Organização Mundial de Saúde e assinatura do decreto de chamamento para a Conferência Estadual de Saúde das Mulheres: desafios para a integralidade e equidade.

O Termo de Cooperação Técnica com a Organização Pan-Americana/Organização Mundial de Saúde fortalece e aprimora a qualidade da assistência às crianças e mulheres, promovendo, ainda, o controle da hipertensão arterial, diabetes mellitus e a eliminação da hanseníase.

A I Conferência Estadual de Saúde das Mulheres será realizada entre os dias 8 e 19 de junho e contará com a participação das 19 regionais de saúde do estado do Maranhão. Durante a assinatura do decreto pelo governador Flávio Dino, o documento teve como testemunhas, o secretário chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares e a subsecretária de Estado da Saúde, Karla Trindade.

Também participaram da solenidade o consultor em Saúde da Organização Mundial de Saúde (OMS), Adriano Tavares, além de profissionais de saúde da rede estadual do Maranhão.

0 comentários: