Mais procurada de SP, Maria do Pó completa 10 anos foragida da Justiça

março 09, 2016

Traficante é única mulher na lista de criminosos mais procurados pela polícia. Ela fugiu da prisão em 2006; R$ 5 mil é a recompensa por sua recaptura.

Maria do Pó é a única mulher a ter a foto estampada na lista de recompensa de criminosos mais procurados do estado de São Paulo; R$ 5 mil é o valor da recompensa por denúncias que levem a localização e prisão da traficante (Foto: Reprodução / WebDenúncia)
Única mulher a figurar na lista de recompensa dos criminosos mais procurados pela polícia de São Paulo, a traficante de drogas Sonia Aparecida Rossi, a Maria do Pó, completa dez anos foragida da Justiça na tarde desta quarta-feira (9). Às 13h do dia 9 de março de 2006, uma quinta-feira, a criminosa mais influente e perigosa do estado fugia da Penitenciária Feminina de Sant'Ana, no Carandiru, Zona Norte da capital.

Condenada a 54 anos e oito meses de prisão, em regime fechado, por tráfico de drogas, Maria do Pó ficou famosa na crônica policial em 1999, quando acabou envolvida no desaparecimento de 340 quilos de cocaína do Instituto Médico-Legal (IML) de Campinas, no interior do estado. O furto da droga, avaliada em R$ 400 mil, ocorreu no dia 26 de janeiro daquele ano, seis dias após a apreensão da cocaína em uma chácara em Indaiatuba, município da região.

A droga estava sob a responsabilidade de policiais. A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Narcotráfico chegou a apurar se Maria do Pó pagou propina a policiais para eles liberarem a cocaína.

A recompensa para quem tiver informações que levem a localização e prisão de Maria do Pó foi fixada em R$ 5 mil no site WebDenúncia. A traficante é a única mulher entre os oito mais procurados na página, que surgiu de uma parceria entre a Secretaria da Segurança Pública (SSP) e o Instituto São Paulo Contra Violência (ISPCV).

Veja abaixo trecho de reportagem do SPTV de março de 2006 sobre a fuga de Maria do Pó:


Entre as fotos de criminosos foragidos no WebDenúncia estava a do ex-médico Roger Abdelmassih, preso em agosto de 2014 por ter sido condenado a mais de 200 anos por estupros. O valor da recompensa para quem dissesse onde ele estava escondido era de R$ 10 mil.

Em outro site, o da Polícia Civil, a foto de Maria do Pó aparece ao lado das de 12 homens como os criminosos mais procurados. A fotografia é a mesma usada pelo WebDenúncia, mas a fugitiva deve estar bem diferente agora. Já que quando escapou tinha 45 anos de idade, e atualmente tem 55.

Apesar de seu paradeiro continuar desconhecido, policiais civis ouvidos pela reportagem disseram que ela teria ligação com a facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios paulistas. Ela ainda estaria comandando o tráfico de entorpecentes em algumas favelas.

Os agentes disseram que Maria do Pó é o "Marcola de saias", uma alusão a Marcos Willians Herbas Camacho, preso apontado como uma das lideranças da facção.

Procurada nesta semana pelo G1 para comentar o assunto, a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), responsável pela unidade prisional da qual Maria do Pó cumpria pena de prisão e escapou, não havia informado como qual foi a conclusão do processo administrativo para apurar a fuga da criminosa: como ela fugiu, se teve facilitação ou se algum funcionário foi punido.

Maria do Pó é a criminosa mais procurada de SP
(Foto: Reprodução / WebDenúncia)
Questionada pela equipe de reportagem sobre as buscas para tentar localizar Maria do Pó, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou, por meio de nota, que a Polícia Civil e a Polícia Militar (PM) estão atrás de pistas que levem ao paradeiro da criminosa.

"O Departamento de Investigações sobre Narcóticos (Denarc) informa que as polícias Civil e Militar, além da Polícia Federal, mantém ações para descobrir o paradeiro da mulher conhecida como 'Maria do pó'. O trabalho de investigação é baseado no confronto de dados nas unidades de inteligência das polícias. A Divisão de Vigilância e Capturas (Departamento de Capturas e Delegacias Especializadas - Decade) realiza diligências para localizar a fugitiva", informa a nota da pasta da Segurança.

Procurada pelo G1, aassessoria de imprensa da Polícia Federal (PF) informou, por nota, que é "fugitiva da Justiça Criminal Federal" e "está no sistema da PF de impedidos de sair do país". A Polícia Federal, que não possui lista pública de procurados, informou que a traficante também "não está na lista pública de procurados da Interpol".

A equipe de reportagem não conseguiu localizar quem seria o responsável pela defesa de Sônia para tratar do tema.

Segunda fuga
Para fugir em 2006, Maria do Pó se infiltrou num grupo de 35 presas que reformavam o Pavilhão 3 da Penitenciária de Sant´Ana. Ela escapou junto com Cleonice Santos de Jesus, a Tatona, condenada a quase cem anos de prisão por tráfico de drogas e assassinato.

Tatona foi recapturada em 11 de junho de 2007 num esconderijo para estocar drogas em Itapevi, região metropolitana de São Paulo.

Maria do Pó, Tatona e as demais detentas haviam atravessado ao menos quatro portões do presídio, todos eles com sentinelas, antes de chegar à rua. Criminosa mais famosa de São Paulo, Maria do Pó teve a fuga comemorada em diversas unidades prisionais do estado.

De acordo com a Promotoria das Execuções Criminais da Capital, dez dias antes da fuga, Maria do Pó requisitou uma transferência para Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, onde sua mãe estaria morando. Cópias de um contrato de locação de imóvel, datado em 2004, foi anexado ao pedido. A solicitação para transferir a traficante foi negada porque a Promotoria desconfiou das alegações da presa para deixar São Paulo e ir cumprir o restante da pena perto dos familiares.

Maria do Pó também aparece no site da
Polícia Civil (Foto: Reprodução / Polícia Civil)
Ainda segundo o Ministério Público (MP), o pedido de transferência feito por Maria do Pó, que estava presa, sugeria o pagamento das despesas da viagem aérea dela e de quem a escoltasse até a capital sul-mato-grossense.

Primeira fuga
A fuga de 2006 não foi a primeira de Maria do Pó de uma unidade prisional paulista. Em março de 1999, ela havia escapado da Penitenciária Feminina do Tatuapé, na Zona Leste de São Paulo.

Recapturada, Maria do Pó passou a cumprir pena em abril de 2000. Em 13 de dezembro de 2005, foi transferida para a Penitenciária de Sant´Ana, no Carandiru, de onde fugiu no ano seguinte.

Nascida em Americana, ela também é conhecida por Sandrinha, Professora, Tata ou Tia.

Denúncias
A lista de recompensas dos criminosos mais procurados de São Paulo pode ser acessada pelo site do WebDenúncia. Informações sobre o paradeiro dos indiciados devem ser encaminhadas diretamente pelo site. O governo informa que o sigilo é absoluto.

O Programa Estadual de Recompensas foi lançado pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) em 6 de maio de 2014. O modelo do programa mantém em sigilo a identidade do denunciante durante todo o processo, inclusive no pagamento da recompensa.

Quem quiser denunciar precisa fazer o procedimento no serviço online e tem assegurado o seu anonimato. Ao final do processo, o denunciante recebe número de protocolo e senha para acompanhar anonimamente o uso da sua informação.

Denúncias sobre paradeiros de criminosos também podem ser feitas anonimamente pelo Disque-Denúncia, pelo número 181.
Para a Polícia Civil, Maria do Pó é uma criminosa perigosa (Foto: Reprodução / Polícia Civil)
Fonte: Kleber Tomaz

Compartilhe

Somente os artigos assinalados não corresponde ao Blog Maranhão News e todos o conteúdo é de inteira responsabilidades de seus autores

Relacionadas

Anterior
« Proximo