MA NEWS
http://www.cabocampos.com.br/
http://www.maranhaonews.net/

Governador vai à Justiça pela recuperação emergencial da BR-135

No último sábado, a bailarina Ana Duarte foi vítima de latrocínio ao passar por um dos trechos da BR 135 tomado por buracos


O governador Flávio Dino (PCdoB) ingressará na Justiça contra o governo federal. Ele pedirá autorização para que o Estado do Maranhão recupere de forma emergencial a BR-135.

Por meio de rede social, o gestor afirmou que já vinha cobrando há meses ações do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), órgão federal responsável pela manutenção das rodovias. Principalmente, a retomada da obra de duplicação da BR-135. “Venho alertando o Governo Federal para as tragédias que ali se verificam. Infelizmente, o DNIT há meses permanece inerte.”

Nesta segunda-feira, o governador do Maranhão entrará na Justiça contra o Governo Federal. “Com a responsabilidade que me cabe, na segunda-feira o Estado do Maranhão ingressará na Justiça contra o Governo Federal”. O objetivo é que o estado seja autorizado a efetuar recuperação emergencial BR-135, com cobrança de ressarcimento da instância federal.

Tragédia
No último sábado, dia 26, a bailarina Ana Duarte, 51 anos, foi vítima de latrocínio quando voltava de viagem de carro, passando pelo Km 15 da BR 135. O trecho, como grande parte da rodovia, está tomado por buracos, o que facilita a ação de bandidos porque os motoristas são obrigados a reduzir a velocidade. Além do perigo de assalto, os veículos são constantemente danificados, também pela falta de infraestrutura.

Ana Lúcia Duarte Silva e uma amiga voltavam de Igaraú, onde participou do ensaio das caixeiras para a festa do Divino Espírito Santo. A bailarina foi surpreendida por bandidos e um deles apontou a arma e atirou na condutora anunciando o assalto. Sua amiga que estava no banco do passageiro não foi atingida.

Muito conhecida pela dança e participação em movimentos culturais, Ana Lúcia também era historiadora e se dedicava ao tambor de crioula. Ela fazia parte do corpo de baile do tambor do mestre Amaral.

Em clima de extrema comoção, o corpo de Ana Lúcia foi sepultado por família e amigos ao som de tambor que era uma de suas paixões.

Fonte: O Imparcial

0 comentários: