Morte de rapaz linchado ocorreu também por negligência médica em unidade mista

janeiro 10, 2016
A morte do vigilante Yul Brinner (foto) Almeida Araújo credita-se inicialmente às pessoas que imbecil e covardemente acham que fizeram Justiça com as próprias mãos, mas também tem que se levar em conta a negligência médica.

Da forma como foi espancado na cabeça, não era uma caso de atendimento rápido e superficial na Unidade Mista de Saúde do bairro Bequimão e depois entregue para policiais que levaram o rapaz de 25 anos para a Delegacia do Bequimão, onde teve fortes convulsões e de lá saiu para a morte, no Socorrão II. 

Há três anos e meio, o jovem Yul Brinner deixou sua cidade natal, Pedreiras, para morar e estudar aqui em São Luís. Deixou lá em filho de oito anos e um casamento desfeito.

Aqui trabalhava como vigilante, que era a profissão que mais gostava. Mas o convívio com as drogas mudaram completamente sua vida, mas nada que apontasse para assaltos, roubos, ou outras prática criminosas.

Ele vinha fazendo tratamento contra o vício, mas no natal passado teve uma recaída. No dia cinco deste mês bebeu todas e usou drogas, além de Diazepan. Amanheceu o dia 6 completamente transtornado, segundo os familiares. Saiu do apartamento onde residia, na Alameda V Condomínio Atlântico, no Bequimão. Continue lendo no Blog do Luis Cardoso.

EM TEMPO: Veja o vídeo do vigilante Yul Brinner sendo agredido ( Vídeo Whatsapp)


Compartilhe

Somente os artigos assinalados não corresponde ao Blog Maranhão News e todos o conteúdo é de inteira responsabilidades de seus autores

Relacionadas

Anterior
« Proximo