TERESINA: Mulheres desmaiam e familiares de presos bloqueiam rodovia com fogo

dezembro 14, 2015

Rebelião na Casa de Custódia de Teresina teve início ainda na madrugada. Familiares ficaram apreensivos por notícias de parentes presos na unidade.

Mulher desmaiou durante rebelião na Casa de Custódia em Teresina (Foto: Gustavo Almeida/ G1)

Familiares revoltados e ansiosos por notícias sobre os detentos que se rebelaram nesta segunda-feira (14) na Casa de Custódia de Teresina, resolveram fazer uma barricada e interromper um trecho da BR-316. Muitas mulheres chegaram a desmaiar na porta do presídio angustiadas por informações.

Mulher chora ao ouvir disparos vindo de dentro do presídio (Foto: Gustavo Almeida/G1)
Mulher chora ao ouvir disparos vindo de dentro
do presídio (Foto: Gustavo Almeida/G1)
“Queremos notícia dos nossos parentes que estão lá dentro. Queremos informação, o diretor tem que vir aqui falar, estamos desesperados”, falou uma mulher que preferiu ter a identidade preservada.

Com o barulhos dos disparos que vinham de dentro do presídio, muitas mulheres se desesperaram e algumas chegaram a desmaiar. Houve correria do lado de fora da unidade e o clima ficou ainda mais tenso quando homens da tropa de choque encapuzados entraram. "Não matem nossos filhos", gritavam algumas mães.

Com a barricada feita na rotatória que dá acesso ao presídio, muitos motoristas subiram pelo canteiro para desviar. Um ônibus intermunicipal que tentou passar pela rodovia fazendo um desvio chegou a ser apedrejado pelos manifestantes, o que deixou os passageiros ainda mais revoltados.

Alguns familiares foram para a lateral do presídio e soltaram fogos em direção a área interna da penitenciária, mas acabaram sendo contidos por policiais militares, que recolheram os artefatos.

A coronel Júlia Beatriz, coordenadora do Gerenciamento de Crise da Polícia Militar, tentou negociar e tranquilizar os parentes dos detentos avisando que não havia mortos e feridos graves dentro da penitenciária.
Familiares de presos iniciam barriacada na BR-316 como forma de protesto (Foto: Gustavo Almeida/ G1)
Familiares de presos iniciam barriacada na BR-316 como forma de protesto (Foto: Gustavo Almeida/ G1)
Marcos Nogueira, da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Piauí, também esteve na unidade acompanhando o trabalho da polícia e confirmou a informação de que não havia vítimas.

Por volta das 10h (horário local) a situação ainda era de tensão no presídio. Além da Casa de Custódia, detentos da Penitenciária Irmão Guido também se rebelaram na madrugada desta segunda-feira, mais de 10h após um preso ser assassinado de forma brutal no presídio.
Ambulância é acionada para socorrer presos ferido durante rebelião em Teresina (Foto: Gustavo Almeida/ G1)
Ambulância foi acionada para atender presos feridos durante rebelião (Foto: Gustavo Almeida/ G1)
A tropa de choque da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e Rondas Ostensivas de Natureza Especial (BpRone) foram acionados. As rebeliões ocorrem no mesmo dia em que os agentes penitenciários deflagraram greve.

“A situação é caótica, pois eles quebraram o acesso do pavilhão H ao restante da Custódia. Eles estão atirando pedaços de concreto que foram retirados das paredes", informou o diretor do Sinpoljuspi, Kleiton Holanda.

Júlia Beatriz Almeida, do gerenciamento de crise da Polícia Militar, participou das negociações (Foto: Gustavo Almeida/ G1)
Coronel Júlia Beatriz Almeida, do gerenciamento
de crise da PM (Foto: Gustavo Almeida/ G1)
Foi necessária a intervenção dos bombeiros porque os rebelados chegaram a atear fogo em colchões e houve um príncipio de incêndio.

O comandante de policiamento da capital, coronel Sá Júnior, informou que até as 8h não foi registrado mortes e feridos. "Pedimos aos familiares que tenham calma porque já conseguimos controlar os detentos de dois pavilhões", falou.

São pelo menos 800 presos dentro da Casa de Custódia participando diretamente da rebelião. O presídio tem capacidade para apenas 330 detentos e é uma das unidades com a maior população carcerária do estado.

Segundo Kleiton Holanda, a rebelião teria iniciado depois que uma fuga dos presos do pavilhão H foi abordada pelos agentes de plantão. “Eles fizeram um túnel que deu acesso ao pátio externo da unidade. Os agentes perceberam a movimentação e conseguiram recapturar os presos. Após a contenção dos detentos, a rebelião teve início”, informou.

Na cidade de Parnaíba, duas fugas foram registradas durante a madrugada na Penitenciária Mista Juiz Fontes Ibiapina e até a manhã ainda não haviam sido recapturados.

Fonte: G1 PI

Compartilhe

Somente os artigos assinalados não corresponde ao Blog Maranhão News e todos o conteúdo é de inteira responsabilidades de seus autores

Relacionadas

Anterior
« Proximo