MA NEWS
http://www.cabocampos.com.br/

Internauta é detido por racismo contra vereador: 'Princesa Isabel fez burrada'

Vereador de Primavera do Leste (MT) denunciou crime à polícia, Morador que fez comentário disse que se tratava de uma brincadeira.

Vereador Luis Costa sofreu racismo na internet (Foto: Arquivo pessoal/ Luis Costa)
Vereador Luis Costa sofreu racismo na internet
(Foto: Arquivo pessoal/ Luis Costa)

O vereador Luis Costa (PDT), de Primavera do Leste, a 239 km de Cuiabá, registrou queixa na polícia por racismo. Um internauta, que mora naquela cidade, fez comentários preconceituosos sobre o parlamentar no Facebook na segunda-feira (7) e foi detido na quarta-feira (9). Chamou-o de crioulo e criticou a abolição da escravidão. A postagem já foi excluída da página, mas o crime está sendo investigado pela Polícia Civil.

“É um absurdo ter que passar por isso. Cheguei a chorar na hora. Me senti humilhado. E isso não é só com a minha família e com todos os outros negros do meu país. Eles precisam ter consciência que racismo é crime”, declarou o parlamentar.

Segundo o vereador, após a votação para a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar suspeita de irregularidades cometidas pela administração adminitração, na Câmara de Vereadores daquele município, uma pessoa postou em sua página de rede social a relação dos candidatos que se posicionaram contra a criação da CPI.
Comentário foi impresso pelo parlamentar e entregue à polícia (Foto: Arquivo pessoal/ Luis Costa)
Comentário foi impresso pelo parlamentar e entregue à polícia (Foto: Arquivo pessoal/ Luis Costa)
Logo, alguns internautas começaram a tecer comentários se dizendo indignados com os vereadores contrários e fizeram xingamentos.

Um deles dizia o seguinte: “Até esse crioulo entrou no bando e eu achava que ele era diferente, pois, segundo informações, no Brasil foi criado o Dia da Consciência Negra, pois a princesa Isabel que fez a burrada em 13 de maio de 1888. E o outro crioulo Zumbi dos Palmares deve estar bem com raiva destes caras aqui".

Segundo o delegado Adriano Alencar, da Polícia Civil, que investiga o caso, o vereador Luis Costa apresentou à polícia uma cópia da publicação e registrou um boletim de ocorrência pelo crime de injúria racial. No entanto, a mensagem já havia sido apagada.

“Eu fiz o boletim de ocorrência e era para a polícia procurar este senhor. Mas fui mais rápido e o achei primeiro. Liguei para a polícia prendê-lo”, disse o vereador. O suspeito saía da academia quanto foi detido na quarta-feira (9) no Bairro Castelândia, naquela cidade. Ele foi conduzido à Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos (Derf) e, posteriormente, encaminhado à delegacia municipal, onde prestou depoimento.

Valmir foi detido e liberado após prestar depoimento (Foto: Ítalo Berto/ Arquivo pessoal)
Valmir foi detido e liberado após prestar depoimento
(Foto: Ítalo Berto/ Arquivo pessoal)
Após ouví-lo, o delegado avaliou que as ofensas tinham intuito politico e não contra a cor. “Entendi que o suspeito não tinha a intenção de ser racista com o vereador. Na delegacia, eles conversaram e houve perdão por parte da vítima”, contou. Em seguida, o homem foi liberado.

O vereador Luis disse ter perdoado o morador, porém, não retirou a queixa. “Ele pediu perdão por Deus e até chorou, jurou nunca mais fazer isso com ninguém. Sou cristão e como ele pediu 'por Deus', eu perdoei”, disse.

O suspeito já tem antecedentes por outros crimes, no entanto, o delegado não soube especificar por quais delitos. A vítima também disse acreditar que o suspeito não repetirá o crime de racismo, mas que tem o prazo de seis meses para pensar sobre dar ou não prosseguimento à ação judicial.

Luis Costa está no cargo há aproximadamente um mês no lugar de outro vereador que foi afastado por suspeita de crimes de corrupção. E alegou não esperar sofrer racismo.

Ao G1, o suspeito de racismo, Valmir da Silva se disse arrependido de ter feito o comentário e que tudo não passava de uma brincadeira para ele.

“Conheço o Luis Costa há muito tempo. Ele nunca fez mal a ninguém, pelo contrário. Chorei de arrependimento e pedi perdão a ele. Vi as pessoas comentando e quis fazer uma brincadeira, mas fui infeliz. Sou moreno, quase preto, não sou racista”, argumentou.

Fonte: G1 MT

0 comentários: